Oi, mentee!

Agora que o CommonApp acabou de liberar os prompts das essays para o ciclo 2019-2020, é hora de começar a pensar nessa parte subjetiva do seu application. Escrever aproximadamente duas essays para cada faculdade pode ser muito exaustivo, e, por conta da enorme demanda, é comum nos depararmos em algum momento com um writer’s block — o famoso bloqueio de escrita, quando “dá um branco”, e a gente não sabe nem por onde começar aquela essay ou simplesmente não sabe como conclui-la, etc. O temido writer’s block costuma aparecer pra todo mundo, mas nem sempre na mesma fase (o que é ruim porque nos pega despreparados). A primeira coisa que quero que você se lembre, então, para superarmos esse obstáculo juntos, é que é normal. Não se sinta menos capacitado por isso!

O mais importante é manter a calma e ter várias alternativas para driblar esse problema. É pra isso que estou aqui :)

A primeira dica que passo agora é para aqueles que travaram logo no começo do essay e não sabem por onde começar. Minha sugestão é tentar um pouco de freewriting. Esse é o nome dado à uma técnica de escrita na qual você deve cronometrar de 10 a 15 minutos e escrever sem parar sobre o tópico em questão. Escreva tudo o que vem na cabeça sobre aquele assunto, em qual idioma preferir, e não pare em momento algum durante esse tempo. Se você não souber mais sobre o que escrever, escreva sobre a falta de assunto. 

Esse é um jeito de ativar o cérebro e relaxar um pouco, sem a tensão de ter de produzir algo “bonito”. Não se preocupe com pontuação, gramática ou, ainda, com a grafia da sua letra ou erros de digitação. Você escreve sem pressão e pode acabar escrevendo coisas sobre aquele assunto que nem planejava escrever, mas que podem te ajudar depois — produzindo vários “atos falhos” úteis, como Freud colocaria.

Esse é um exemplo de um freewrite que eu fiz. Dá pra ver bem que há vários erros de digitação e gramática, mas o texto ficou enorme e eu escrevi por 15 minutos sem parar ;)

Outra dica para se ter em mente durante qualquer fase do processo de escrita é que você não precisa fazer tudo de uma vez. Sério. Não deixe só um dia para escrever aquela essay, porque, em minha visão, nem todos os dias estamos inspirados ou com a criatividade afiada. Já escrevi muitas redações durante o Ensino Médio sobre "Inspiração x Trabalho", e minha conclusão é que tanto trabalho e esforço quanto inspiração são necessários para a escrita de um bom texto.

Sendo assim, você pode tanto voltar ao tópico em um outro dia quanto estimular seu cérebro de outras maneiras, para descompensar todo o estresse colocado sobre o lado criativo (não vou começar uma discussão sobre lobos cerebrais e suas funções específicas aqui, mas você entendeu).

Deixar para tentar de novo outro dia pode até parecer como desistência, mas dormir é uma ótima dica. Por mais que o cérebro continue trabalhando, o corpo no geral descansa, e podemos dar uma “refrescada” nas ideias para tentar de novo. Tente dormir pra valer, sem deixar os pensamentos ansiosos sobre a essay que não sai te atrapalharem (e sempre numa cama, no escuro, etc). 

Dar uma pausa momentânea também é uma ótima opção! Saia para uma caminhada para desestressar e limpar a cabeça um pouco (ar fraco e luz natural não podem fazer mal, também), ou realize tarefas simples e entediantes, que não requeiram ação criativa, para descansar essa parte do cérebro. Você pode lavar a louça, tomar banho, limpar a casa, etc. Algo que ajuda bastante a me acalmar é colocar uma música alta e dançar para público nenhum.

NOTA: Cuidado para não entrar no ciclo vicioso da procrastinação ativa, no qual a gente passa a cumprir outras obrigações muito importantes (como arrumar o quarto, trocar uma lâmpada), que, por serem necessárias, não nos soam como procrastinação. No fundo, estamos só nos ocupando para não realizar aquela tarefa que no fim das contas estamos tentando evitar. 

Outra dica que eu gosto muito é sobre mudar o foco. Você pode fisicamente mudar de lugar, e o novo ambiente ajuda a renovar as ideias, ou você pode ler um pouco, e o trabalho de outras pessoas pode te dar uma ideia para o seu próprio trabalho. Você pode também procurar coisas na internet sobre o assunto: textos, poemas, TED Talks, ou que for te ajudar a ter aquela ideia inicial sobre o que escrever.

É tudo uma questão de perspectiva: o bloqueio de escrita pode ser vencido quando nos deixamos olhar as coisas sobre um outro foco — seja escrevendo de um jeito diferente, num tempo diferente, num lugar diferente ou sob uma energia diferente.

Espero ter ajudado!