Oi, mentee

Se você já leu algum dos meus outros artigos, bem vinde de novo. Se não, deixa eu me apresentar: meu nome é Noah, tenho 19 anos e estudo em Oberlin College, em Ohio. Saí da waitlist (lista de espera) de Oberlin dia 5 de maio (AKA um dos melhores dias da minha quarentena), menos de uma semana depois do dia oficial das matrículas. Três dias depois, saí da waitlist do programa de Liberal Studies da New York University (NYU). Parece mágica, né? Eu também às vezes não acredito. Sempre ouvi que era muito raro ser chamada da waitlist, e, se não fosse por isso, estaria embarcando num gap year e aplicando pela segunda vez. 

Se você ficou ficou interessade sobre como fazer para sair da waitlist de alguma universidade, aperte os cintos e venha comigo.

First things first, se você não conhece muito sobre waitlists, dê uma olhada neste artigo dos admissions blogs da maravilhosíssima Oberlin (sou um pouco biased, obviamente) sobre como a waitlist funciona. Ele é bem genérico, o que quer dizer que vale para as outras universidades também.

Agora, a grande pergunta que não quer calar:

O que fazer para se destacar na waitlist

A resposta para praticamente todas as universidades é a mesma: enviar uma carta

Segundo o artigo de Oberlin, a grande maioria das universidades aceita (e espera) que você mande uma carta como material extra para eles considerarem caso revisem seu application de novo. Esta carta deve conter duas partes:

  • WHY US ESSAY: a primeira parte da waitlist letter deve funcionar basicamente como um daqueles why us essays que muitas universidades pedem que você escreva no application. Você deve usar essa carta para reforçar para os admissions officers o porquê de você querer ir para lá - ou, em outras palavras, reforçar porque você será um great fit para a universidade caso eles tenham vagas disponíveis. Contudo, se a universidade que te deixou na lista de espera pedia alguma versão de um why us essay no application, espera-se que o que você colocar na carta seja diferente do que colocou no application (mais inovador, mais específico - veremos isso mais pra frente). 
  • WHAT HAVE YOU BEEN DOING SO FAR: nesta segunda parte da carta, espera-se que você atualize as universidades sobre o que você tem feito desde o momento em que enviou seu application - seja um prêmio que você ganhou, uma nova atividade que iniciou, uma nova posição de liderança que assumiu em algum grupo etc. Lembre-se de que, nos Estados Unidos, es alunes enviam os applications 6 meses antes de se formarem, então elus continuam com as aulas e atividades por mais um tempo antes de receberem a resposta das universidades (e é esperado que você continue com as suas atividades também).

O formato de uma waitlist letter

Essas cartas não têm um padrão oficial, mas pelos exemplos que li antes de fazer as minhas, podemos extrair uma espécie de template para ajudar quem não sabe como começar. 

NOTA IMPORTANTÍSSIMA DA AUTORA: usarei trechos das minhas próprias cartas como exemplos, para que o artigo fique mais visual. Contudo, procurem se inspirar nas minhas cartas, não copiá-las. Se alguém tiver mais dúvidas e quiser ver mais exemplos, fico feliz em ajudar. Podem me mandar um email em [email protected] que a gente conversa! Continuando:

  • envie a carta a ume admissions officer, ou, se você souber o nome do/a seu/sua (procure no site da faculdade quem é o/a responsável por international students), pode endereçar diretamente à pessoa;
  • no primeiro parágrafo, comece agradecendo por receber uma vaga na waitlist, e reforçando o quanto você ama a universidade:

Dear xxxxx xxxxx,  

I wanted to start off by thanking you for taking the time to read my application. I understand that Bowdoin has thousands of candidates every single year and I am grateful to still be considered for a spot in your class of 2024. On that note, I’d like to say that I continue to be incredibly interested in attending Bowdoin, and that it is my top choice school. 

Comecei todas as minhas cartas assim. Sobre a parte de mostrar interesse, disse que Bowdoin era minha escola dos sonhos - disse isso para todas, e não era mentira, eu amava cada uma das universidades que me deixaram na lista de espera. Por mais que eu disse isso para mais de uma faculdade, isso mostra a eles que eu estou profundamente interessada (e eles não sabem que eu disse isso para outra universidade - ou talvez suspeitem, mas tudo bem). Você também pode usar coisas do tipo: “and I’m still incredibly interested in attending Bowdoin” etc. 

Se você está na waitlist para mais de uma universidade e tem uma que realmente é a sua preferida, você pode dizer a elus que aquela é a sua universidade parecida e que, caso aprovade, realmente irá para lá. Isso pode mudar a sorte a seu favor, porque mostra para a universidade que elus com certeza terão aquelu alune. Isso porque, mesmo que você receba uma offer of admission da waitlist, você pode recusá-la, e elus terão que procurar outra pessoa. 

Seguindo nessa linha, outra coisa que você pode fazer é pedir para o/a seu/sua counselor escrever para o Admissions Office reforçando o seu interesse por aquela - e somente aquela - faculdade, que você demonstra na carta. Isso mostra mais seriedade ainda no seu desejo de ir pra lá. Isso só deve ser feito quando a faculdade é, de fato, a sua top choice - e portanto só pode ser feito uma vez. Caso contrário a credibilidade do/a counselor, da escola a sua própria estarão severamente comprometidas.

O corpo do texto: 

  • siga explicando para a universidade porque quer ir para lá e porque será um great fit. Como vou falar mais a fundo das especificidades dessa parte mais adiante, seguimos;
  • nos últimos parágrafos, atualize es admissions officers do que tem feito. Eu começava esse parágrafo com “I’d also like to update you on what I’ve been doing in 2020”
  • no último parágrafo, retome aspectos da universidade que goste e faça uma conclusão retomando aquela ideia inicial de que essa universidade é ideal para você;
  • termine com:

Sincerely, 

Seu Nome

Exceções 

Como tudo na vida, as waitlist letters que te apresentei acima também têm suas exceções. A maioria das universidades (como Oberlin e Hamilton College) pedem que você envie a carta, nesse formato que acabamos de ver, para o email de seu/sua admissions officer. Vou contar as exceções que cruzaram meu caminho nessa estrada tortuosa da vida de waitlist:

  • algumas universidades não vão aceitar essas cartas, e tudo o que você poderá fazer com respeito a ser waitlisted é responder ao formulário do seu admissions portal que pergunta se você quer ser considerade para a waitlist;
  • algumas universidades, como Bowdoin, terão em seu formulário uma caixa de texto para additional comments. Enviei minha carta por lá (no mesmo formato que apresentei acima). Não sei se fiz da forma certa, então, se você tiver alguma fonte com mais experiência que eu, siga o conselho delu;
  • algumas universidades, como NYU, terão suas próprias perguntas no formulário de resposta da waitlist, e você as responderá em vez de mandar uma carta. Eles têm duas perguntas, que acabam funcionando como as duas partes da waitlist letter que apresentei para vocês no início desse artigo: 
    • "In the space below, you may elaborate on your interest in any of the particular schools, colleges, programs, or campuses noted above”;
    • "Any new information must be reported on this form. We respectfully ask that applicants refrain from submitting any additional materials (e.g. letters of recommendation, updated resumes, appeal requests, etc.), with the exception of updated transcripts. Please use the space below to inform the admissions committee of any updates since the time of your application (ex. honors, awards, new leadership positions, etc.). Please do not send any additional information to the admissions office separately, with the exception of your Final Report and final transcript.”

Por último, e mais importante, faça a sua lição de casa! 

Uma coisa que realmente aprendi com essa experiência toda é que dá para ver no why us essay quando o interesse é genuíno. Romantismos à parte, isso aconteceu comigo. Assim como fiz no resto do application, saí fuçando o site das universidades para descobrir coisas específicas sobre elas que me agradavam e que seriam interessantes de colocar na carta. Uma coisa um pouco frustrante, no entanto, é que muitas liberal arts colleges são bem… parecidas. Então tentei buscar por eventos, cursos, programas muito particulares da universidade que mostrassem que eu a) fiz minha lição de casa e b) me encaixaria mais lá do que em outro lugar, já que me tocam os aspectos que eu não encontraria em outras universidades. 

Tentei fazer isso com todas, mas nem sempre dá certo. Todas as cartas que escrevi falavam sobre eventos ou nome de cursos específicos, mas acredito que me destaquei em Oberlin porque consegui passar um sentimento através da minha carta. Como eu fiz isso? Foi sem querer, actually

Uma pequena história: assim que enviei o application em janeiro, quando não tinha nada pra fazer, ficava fuçando o instagram e os sites das minhas unis preferidas (sim, eu sou muito trouxa). Uma noite, fuçando o site de Oberlin, descobri que eles tinham student blogs! Isso mesmo, posts que os alunos escreviam sobre aspectos da vida lá. Li vários de uma vez, e achei uma menina, chamada Tara, com quem me identifiquei (basicamente por ela ser internacional e nova lá - class of 2023). Li todos os posts dela, mesmo que vários eram sobre computer science, e naquele momento me senti triste por não ter sido aceita em Oberlin, yet. Tara tinha conseguido me transmitir uma verdadeira paixão sobre aquele lugar. Na hora de escrever a carta, tive a ideia de mencionar a sensação agradável que tive ao ler seus posts, e minha carta ficou só sobre isso. Acho que eles gostaram. 

Essa foi minha eureka: achei um elemento que me permitia uma conexão individual e emocional com a universidade, e trabalhei com sentimentos, junto com fatos. Deixo aqui a parte principal da carta: 

Dear Sophie Mettler-Grove,  

I wanted to start off by thanking you for taking the time to read my application. I am grateful to still be considered for a spot in your class of 2024. On that note, I’d like to say that I continue to be incredibly interested in attending Oberlin, and that it is my top choice school.

After submitting my application in January, I took great interest in reading about student life at Oberlin through the Oberlin Student Blogs. I connected deeply with the articles of one student, Tara Draper, a member of the class of 2023 and an international student from Australia. In her articles, Tara wrote about her transition to the U.S. and talked about the hard parts of it that are usually left behind. She was completely honest about her struggles with homesickness, the metric system, and with trying to understand what Thanksgiving was about. In spite of all the difficulties, I could sense a profound love for a place that she now likes to call home. 

She shares many traits with me that, just like with her, worry me about going to college. But I feel less worried about being an international student after reading about her arrival with the International Students Orientation. I feel less worried about being part of the LGBTQ+ community after reading about how Tara, being a gay student, felt more confident with herself after coming to Oberlin and introducing herself with her pronouns and using mostly co-ed bathrooms. I also feel less worried about coming to a strange city after reading Tara’s description of the admissions tour I was never able to attend, in which she explained how Oberlin College and the city of Oberlin were founded basically at the same time, and that now they exist in a deep symbiosis. In conclusion, I’m certain I would find, just like Tara, even more reasons to call Oberlin a home. 

Depois disso falo sobre o que vinha fazendo até o momento. Como vocês podem ver, não fiquei só listando fatos legais sobre a faculdade. Disso eles já sabem. O que eu posso trazer, como perspectiva única, é como isso se aplica a mim. Deixo aqui, para fins de comparação, um trecho da minha carta para Hamilton: 

I’m excited by the possibility to be a part of more than 200 years of tradition, and to get to Know Myself a bit more. I’m thrilled by the idea of doing that in a place where I can learn from my peers as well as from my professors. I’d love to be a part of Feb Fest and have fun with my transition to a snowy place, coming from the tropical paradise that is Brazil, or to live in Babbitt Residence Hall and wake up to astonishing views from my enormous window. Many top colleges excel in academics, and Hamilton sure is one of them, but not all of them will be able to make me dream about the memories I’ll have of that place before even attending it. 

Sim, é só isso. Depois eu vou para a próxima parte e menciono outros aspectos legais sobre Hamilton na conclusão. Não me leve a mal, não é que todas as cartas ou why us essays devem ser como a minha - até porque eu genuinamente gostei de outros why us essays que fiz (pena que as unis não rs) - mas dá pra sentir que foi de verdade. Até porque tentei mimicar minha experiência para a carta de Bowdoin. Já tinha levantado alguns pontos para essa quando fiz a de Oberlin, e resolvi ir atrás de student blogs. O que eu achei foram relatos estudantis sobre alguns dos empregos que eles têm lá. Tentei inserir isso na carta, mas não ficou tão orgânico. A carta acabou ficando enorme de tamanho, e uma mistura entre esses relatos e outros aspectos da uni que me agradavam. 

Espero que isso tenha servido de inspiração, e não de fonte de desespero. Como eu disse, essas coisas não têm um molde, nem um jeito certo. Meu maior conselho é: ache a sua Tara Draper. Minha meta agora é conhecê-la pessoalmente e agradecê-la. Ache a coisa que te toca sobre a sua universidade, e escreva sobre isso com paixão. O que elas têm de legal elas já sabem, então relacione isso com você - com seu passado, com histórias que você viveu, com suas ambições futuras, com seus valores, com seus rótulos… Eu gostei muito de escrever a carta para Oberlin, e acho que isso pode ter agregado ao meu application/feito elus gostarem de mim/feitos elus verem o quanto Oberlin é realmente perfeita para mim.

Espero ter ajudado!